Fundamento e Raízes do Programa de Integração Organizacional

parasol

O que é Terapia organizacional?

A Terapia Organizacional é uma abordagem terapêutica, criada por Maria Vilma Chiorlin, para atuar nas organizações. Suas bases metodológicas são a Bioenergética, o Psicodrama, a Biossíntese e a Biodança. Ela traz um olhar terapêutico para as organizações e, com ele, um novo olhar terapêutico para a mesma, e, com ele um novo papel – o do terapeuta organizacional.

A Terapia Organizacional tem como pressupostos a visão holística e sistêmica e, assim, nos convida a ampliar nosso olhar para o todo e para todas as suas relações. Na visão holográfica, lembra-nos que a parte está no todo e o todo na parte. Embora a visão seja olhar o todo na organização, relações à parte, o foco da metodologia é atuar no papel profissional, nas relações e nos contextos de trabalho.

A base do processo de TEOR sustenta-se no encadeamento dos seguintes temas:

  • Expectativas
  • Paradigmas
  • Percepção
  • Comunicação e Feedback
  • Papel
  • Atitude
  • Família e Organização
  • Corpo
  • Essência

O Processo de TEOR ultrapassa o limite cognitivo, alcança a atitude dos participantes e propicia estímulo a uma evolução muito ampla. Além de evoluírem emocionalmente, na medida em que resolvem temas e problemas organizacionais, aprimoram‑se tecnicamente. Percebem que estão no mesmo barco e vão abandonando suas posições competitivas. Vão descobrindo que todos são interdependentes, que são os obstáculos relacionais que os impedem de alcançar resultados e que o alcance destes são imensamente facilitados pela ajuda mútua. Vão percebendo que os grandes inimigos são os problemas e não seus parceiros de trabalho. Então, o Processo de TEOR colabora com a evolução de todos os envolvidos, com a finalidade de contribuir diretamente para a sustentabilidade do negócio e sua perenidade.

O Processo de TEOR procura ajudá‑los a mergulhar no então adormecido potencial, facilitando o resgate de muitas de suas capacidades criativas e inovadoras. São razões que nos levam a promover um clima de confiança responsavelmente permissivo para melhorar tanto quanto o possível a eficácia das interações

Terapia - é uma palavra originada do grego que compreende a arte de curar. Inclui um rol de práticas que visa restabelecer a saúde de um SER [1] ou grupo de seres. Abrange a capacidade de desenvolver um processo de cura e, neste caso, um tratamento, o qual implica no ato de alguém colocar‑se a disposição de outra pessoa visando ajudá-la a superar suas dificuldades ou tendências patológicas.

 [1] O significado da palavra “ser” aqui não fica restrita ao ser humano, mas amplia-se aos seres dos reinos animal e vegetal. 

Organizacionalo segundo termo da denominação deste método indica que a referida ação terapêutica destina‑se às organizações. De um lado, as pessoas organizam‑se em grupos com os mais diferenciados propósitos e, do outro, esses grupos organizados configuram‑se das mais variadas maneiras. Portanto, a palavra “organização” não se restringe às empresas, ou seja, às organizações empresariais, mas abrange todos os tipos de organizações existentes, desde as partes organizadas que compõem a totalidade de uma organização até as organizações governamentais e internacionais. Assim, o Método de Terapia Organizacional contém a qualidade especial de ajudar diversificados tipos de organizações.

Posto isso, torna‑se também necessário compreender que o conceito do Método de Terapia Organizacional tem bases morfogenéticas, holográficas, ecológicas, sistêmicas e holísticas, sendo um método flexível, versátil, dinâmico, situacional e abrangente de coordenação de processos grupais que articula abordagens específicas para remover obstáculos relacionais existentes entre os participantes, visando ajudá‑los a enfrentar e resolver temas, problemas e desafios organizacionais. O método – TEOR articula as seguintes abordagens: Psicodrama, Bioenergética, Biossíntese, Energética da Essência e se vale de conhecimentos de Psicologia Budista, Dinâmica Energética do Psiquismo, Administração de Empresas, Biodança, Taoísmo, Medicina Nishi, Dinâmica de Grupo, Alongamento, Relaxamento, Música, Dança e referenciais de Física Quântica.

Dentre os mais usuais resultados estão: resolução de temas e problemas, redução de custos, aumento de produtividade, melhoria na qualidade de produtos, de serviços e de ambiente, liberação e aproveitamento mais adequado do potencial existente em cada participante do processo.

Uma organização é um organismo vivo em resultado direto das interações interpessoais  intra e inter-organizacionais. Ela age e reagem com características muito semelhantes as dos seres humanos. Assim como a interação das energias interiores determinam a personalidade de um indivíduo, a interação das personalidades existentes dentro de uma organização determina sua própria personalidade. Isto é muito fácil de entender, pois quando um gerenciador de uma dada área é substituído por outro, a personalidade da área muda, porque sua entrada na nova área determina uma forma diferente de interação interpessoal comparada àquela desenvolvida pelo gerenciador anterior.

Quanto mais elevado o nível hierárquico e o respectivo poder de posição de um indivíduo, maior será a influência de sua personalidade na personalidade da organização. Portanto, a personalidade de uma organização é determinada com predominância pela interação das personalidades das pessoas que a dirigem. Assim, mudar uma área ou toda organização implica na mudança da personalidade daquele(s) que a(s) dirige(m).

O ser humano significa muito mais do que normas, procedimentos e controles. As verdadeiras soluções para um indivíduo estão dentro dele, da mesma forma em que as verdadeiras soluções para uma dada organização estão dentro e não fora dela. É neste momento que o Método TEOR-Terapia Organizacional mostra‑se especialmente eficaz, pois ajuda a flexibilizar e ampliar suas percepções e a desbloquear potenciais anestesiados, para que estes possam ser colocados a serviço da organização.

Este método ajuda empresários, gerenciadores e colaboradores a flexibilizar suas atitudes e paradigmas, a ampliar seus níveis de percepção para construir soluções adequadas à especificidade da organização. Isto significa resgatar a auto-estima e valorizar as qualidades e potenciais que já existem dentro dela.

 

 Prisma